Backup, que bicho é esse?

Backup, que bicho é esse?

Um backup é basicamente uma cópia de segurança que devemos fazer para evitar a perda de arquivos importantes. Computadores são falhos e podem parar de funcionar de um dia para o outro sem aviso prévio. E, para complicar, estamos cada dia mais dependentes deles!

Existem diversos tipos de backup, mudando basicamente a forma e a periodicidade com que ele é feito.

Que tipos de backup você pode usar?

Um backup pode ser realizado em diversos tipos de mídia. Dos “quase fora de linha” CDs e DVDs, a serviços na internet, passando pelo pendrive e HD externo, as opções são muitas. Até mesmo copiar teus arquivos para um outro computador na rede local pode ser uma boa opção, dependendo do contexto.

Eu gosto da ideia de fazer o backup de acordo com o uso do arquivo a ser guardado. Abaixo sugiro alguns tipos de backup:

Arquivos de trabalho em andamento: são aqueles arquivos que você usa no dia a dia. Planilhas, documentos etc. Normalmente a quantidade que utilizamos destes arquivos não é tão grande e podemos utilizar tranquilamente um serviço de backup on-line como o Dropbox (http://www.dropbox.com), o Google Drive (http://drive.google.com), o Mega (http://mega.nz) e diversos outros semelhantes. Em posts futuros falarei um pouco mais sobre estes serviços. Fazer uma cópia em pendrive ou HD externo também são boas opções para estes casos.

Arquivos de trabalho concluído: São aqueles arquivos antigos, que fazem parte do teu trabalho mas você não precisa mais modificar. São aqueles projetos finalizados mas que, por algum motivo, você precisa manter uma cópia para consulta futura. Para estes tipos de arquivos, minha sugestão é usar o bom e velho DVD.

Mas, por que não o pendrive ou HD externo? A questão é principalmente que estes dispositivos podem queimar. Caso você queira guardar um backup por 10 anos, por exemplo, qual é a garantia que teu dispositivo vai estar funcionando até lá?

Claro que DVDs e CDs também se estragam. Para isto, deve existir um cuidado no armazenamento e manuseio. Na minha opinião, a melhor forma de guardar CDs ou DVDs é mantendo-os em caixinhas separadas (individuais) e em lugar ventilado e com temperatura ambiente. Não gosto muito daqueles cases que comportam diversos CDs e DVDs para se guardar estas mídias por muito tempo. O tecido pode se tornar um ambiente propício ao aparecimento de fungos e traças que poderiam corromper a mídia. Além disso, o fato de o disco estar solto pode gerar arranhões e acabar causando perda de dados.

E aqueles arquivos muito, mas muito, importantes?

Arquivos de grande importância precisam ser tratados com mais cuidado ainda. Uma sugestão seria fazer uma cópia duplicada em DVDs e, dependendo do caso, guardá-las em local diferente  de onde o ambiente de trabalho está. Este é um caso extremo, mas, imagine que um incêndio destrua tudo? Dependendo da importância de teus arquivos você vai querer recuperá-los ainda que precise começar tudo do zero.

Você tem sugestões sobre backup? Utilize o espaço dos comentários abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


× 8 = trinta dois