Extensões de arquivos – Você sabia que elas existem?

Extensões de arquivos – Você sabia que elas existem?

Tecnicamente, todos os arquivos são iguais em um computador: todos são uma sequência de “ligados” e “desligados” que são entendidos pelos programas. Entretanto, cada programa grava e utiliza os arquivos de forma diferente, e cada programa abre apenas os tipos de arquivo que foram designados a abrir. Para facilitar o reconhecimento dos arquivos (e quais programas o abrem) foram criadas as extensões dos arquivos.

As extensões de arquivos são aqueles caracteres que existem depois do ponto no nome do arquivo. Por exemplo, no arquivo “dados.xls”, a extensão corresponde ao “xls” e, por padrão, este arquivo é aberto pelo Microsoft Excel de versões mais antigas. As versões mais atuais do MS Excel gravam arquivos em formato “xlsx”.

Historicamente, as extensões estavam limitadas a três letras (quem utilizou o MS-DOS nos anos 80 ou 90 deve lembrar bem disso) e este costume se utiliza até hoje. Tecnicamente, não existem mais limitações na quantidade de caracteres utilizadas pela extensão, mas a maioria dos programas continua utilizando três letras.

Tipos de arquivos e suas extensões

Um programador pode criar um programa que leia arquivos com qualquer extensão (ou até mesmo sem extensão alguma). Entretanto, algumas extensões são bem conhecidas e já remetem aos programas que as criam:

doc/docx – São arquivos do Microsoft Word e contém documentos de texto. Podem ser lidos, também por outros programas como o Open Office Writer (alternativa gratuita ao Word).
xls/xlsx – São planilhas do Microsoft Excel. Também podem ser lidos pelo Open Office Calc.
exe – São programas (na plataforma Windows), também conhecidos como executáveis. Estes arquivos são desenvolvidos de forma que o computador entende suas instruções e apresenta uma tela ou executa uma determinada função. O Firefox e o Chrome, por exemplo, são executáveis.
zip / rar – São arquivos compactados (também conhecidos no Windows como “pasta compactada”). Em um único arquivo podem existir um ou mais arquivos que são “comprimidos” para ocuparem pouco espaço.
jpg / png / gif – São imagens ou fotografias. Basicamente todas as imagens que você visualiza na internet estão em um destes formatos.
pdf – É um formato de arquivo que permite que textos e imagens sejam enviados de um computador a outro, de forma que possam ser lidos sem o programa que os criou. Como exemplo, um doc é transformado em PDF e pode ser lido em um computador sem que exista o Word instalado nele. Muito utilizado para enviar orçamentos e propostas comerciais, porque tem a vantagem de não poder ser alterado por quem o lê.
avi / mpg / mpeg / wmv – São alguns dos formatos de vídeo. Os vídeos que você visualiza na internet ou copia em seu pendrive normalmente estão em um destes formatos.
mp3 / wma – São arquivos de música. Com certeza você já ouviu falar dos “mp3”, não é mesmo? Agora você sabe de onde vêm este nome! 🙂

Existem centenas de extensões de arquivos. Algumas podem ser vistas neste link da Wikipedia.

Mas… cadê minhas extensões?

Se você é usuário do Windows, pode ser que nunca tenha visto uma extensão em seus arquivos. O que acontece é que, para evitar que as extensões sejam indevidamente modificadas, o Windows esconde as extensões de arquivos conhecidos. Desta forma, você pode renomear o arquivo sem medo de apagar a extensão (e possivelmente fazer com que o arquivo não funcione corretamente).

Você pode exibir as extensões dos arquivos seguindo a dica existente neste link, no site da própria Microsoft (Dica para Windows 7, mas você pode encontrar vários sites com dicas neste link). Leve em consideração que alterar as extensões dos arquivos pode fazer com que seus programas parem de funcionar e nós não nos responsabilizamos pelos resultados que isto pode causar! Utilize por sua conta e risco! 😉 Para o usuário comum, a exibição de extensões de arquivos é normalmente desnecessário.

Dica: Não adianta modificar uma extensão de um arquivo para que este possa ser lido por outro programa. Normalmente isto não vai funcionar. O que importa, para o programa, não é a extensão em si, mas o conteúdo do arquivo. A extensão é apenas um facilitador para o manuseio dos arquivos e permite, por exemplo que quando você clique duas vezes em um determinado arquivo o computador entenda qual programa você irá usar para abrí-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


seis + 8 =